Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Escrita sem sentido nenhum

É o nome mais justo, porque na verdade não tem sentido nenhum só uma grande vontade de escrever sobre o meu dia a dia, filhos, marido, isto de ser mulher, de estar longe dos meus, das saudades, dos bons amigos, das coisas simples...

Escrita sem sentido nenhum

É o nome mais justo, porque na verdade não tem sentido nenhum só uma grande vontade de escrever sobre o meu dia a dia, filhos, marido, isto de ser mulher, de estar longe dos meus, das saudades, dos bons amigos, das coisas simples...

28.Ago.17

#198 Acordei para vida

 

 

7ORRF3RC.jpg

 

 

 

No fim de semana não me apetecia nada ir trabalhar , por varias razões. Passo a explicar algumas, queria ficar na cama mais um bocado ( se os miúdos colaborassem), tomar o pequeno almoço sentada, ir dar uma volta com eles antes do almoço, e as razões podiam continuar.

 

 

Acabei por sair mais cedo do trabalho os dois dias, acho que as pessoas estavam numa de fazer de tudo menos ir ao shopping, não havia quase ninguém nas lojas.

 

Nos dois dias cheguei a casa  e não parei, resolvi acordar a Edna  fada do lar. Aproveitar o fato de estarmos os dois em casa para me organizar.

Esta é a última semana de Agosto - Aleluia!!! - na semana que vem já há escola, e convém saber aonde andam as coisas.

Fui as compras, limpei, aspirei, pus roupa a lavar, fiz Lemon curd, arrumei roupa que já não servia, fiz os miúdos experimentarem casacos de Inverno e até gorros.

 

 

No sábado até correu bem, consegui fazer o que queria, ontem foi mais complicado, quando finalmente fui enfrentar o monte de roupa que tinha para engomar, o ferro foi a vida, o Luís ainda o abriu, não havia mais nada a fazer.

 

 

Passei para o meu Cheesecake de limão fingido. Bater natas para mim sempre foi um filme, a únicas que consigo são as da Parmalat mas nem essas queriam nada comigo ontem, foram dois pacotes para o lixo, depois de ter tentado o resultado foi ter sujado a minha cozinha  - que tinha acabado de limpar - e a minha cara com salpicos brancos. Fui comprar mais dois pacotes. Segunda tentativa , falhada também. Terceira vez, consegui mas mesmo assim não ficaram como costumam. Ontem não era dia.

 

Em relação ao ferro de engomar lembrei-me de um ferro com caldeira que tinha, era só encontra-lo. Quase as dez e meia da noite estava eu a acabar de engomar a roupa dos miúdos.

 

Não gosto nada de dias compridos, tive a sensação que só parei mesmo para dormir.

 

Nota: Não fiz tudo sozinha, o Luis ia me ajudando entre o trabalho que tinha trazido para casa.

 

Boa semana,

 

Edna Morais *

 

 

2 comentários

Comentar post