Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Escrita sem sentido nenhum

É o nome mais justo, porque na verdade não tem sentido nenhum só uma grande vontade de escrever sobre o meu dia a dia, filhos, marido, isto de ser mulher, de estar longe dos meus, das saudades, dos bons amigos, das coisas simples...

Escrita sem sentido nenhum

É o nome mais justo, porque na verdade não tem sentido nenhum só uma grande vontade de escrever sobre o meu dia a dia, filhos, marido, isto de ser mulher, de estar longe dos meus, das saudades, dos bons amigos, das coisas simples...

24.Mai.15

#46 Uma animação (Not)

Desde de que o Francisco nasceu evito sair com os dois sozinha. Das poucas vezes que sai com os dois, foram passeios curtos, ir ao talho ou ao café. A Inês como qualquer outra criança não colabora muito e começo a ver a minha vida a andar para trás.

Os cafés, lanches, passeios com as amigas têm sido frequentes, mas normalmente só vou com ele.

A I. tem sido assídua na creche, vou busca-la cedo, ainda não tenho pedalada para ficar com os dois sozinha muito tempo.

Ontem la fomos os 4 passear de manha ao parque, fomos fingir jogar a bola.

Depois fomos almoçar ao Porto, o objectivo era irmos ao parque da cidade, mas ainda estava muito calor , resolvemos ir a um shopping almoçar.

Primeiro apanhamos um engarrafamento para poder dar de mamar ao F. , afinal até se fazem bebés. Depois um filme para a I. almoçar. Para fazer tempo fomos até a Fnac namorar os livros, cds , ver as novidades, não estivemos lá mais de 10 minutos.

A I. queria tudo, mexia em tudo com as mãos todas pegajosas do chupa chupa que tinha na mão - que pensamos que a ia distrair das outras distracções , correu mal.

Saímos de lá e foi uma sucessão de tentativas falhadas de ver ou fazer alguma coisa, ou fugia, chorava, pedia, estava difícil, estávamos a ficar os dois chateados e nervosos.

Decidimos ir para o parque, a I. adormeceu em 5 segundos - as birras devem cansar "coitada" - começa o F. aos berros.

Hora de comer e nem nos apercebemos, com a pressa de ir embora e ver a Inês mais calma. Lá tivemos que parar o carro aonde deu, para alimentar o mini.

Estávamos desanimados,  isto cansa - já nem fomos ao parque - próxima paragem (certa) : casa!

Moral da história : enquanto não nos habituamos a logística de sairmos os 4, nada de sítios fechados com muita gente.

Stress na certa.

Casais com mais que 2 filhos pequenos, vocês são corajosos!!!

Edna Morais *